Há meses atrás, fiz um post sobre a nova onda que estava ocorrendo em casamentos: a noiva jogar um sapo vestido de fraque, no lugar do tradicional buquê.

Desde então, vários denominações foram dadas a ele: sapuquê, sapo príncipe, sapo encantado… E diversas versões, em sua maioria, de feltro, foram feitas por inúmeros artesãos e com preços bem mais acessíveis. Comprove.

Como a noiva já encontrou o seu príncipe, nada mais justo que passe o SAPO para suas amigas solteiras, não é mesmo? Reza a lenda, que o sapinho, após ser beijado pela mulher “certa”, vira um lindo príncipe encantado.

Mas, como agradar a todas não-casadas da festa, se o sapuquê (gosto desta denominação), tal qual o buquê, é só um?

Bem, aí é que está a novidade: várias noivinhas (e eu me incluo nessa!) estão encomendando, além do sapuquê, sapos príncipes em forma de chaveiro, para serem ofertados para as amigas que não conseguirem pegar o tão almejado objeto. Uma espécie de prêmio de consolação – divertido e engraçadinho – diga-se de passagem.

Caso a lenda não se profetize, as amigas solteiras terão, ao menos, companhia até que encontre o seu par ideal. Além disso, o mimo, como preconiza a cultura chinesa, costuma trazer sorte, fartura e prosperidade, a quem o recebe.



Esse lindos sapinhos foram feitos em Recife, pela supercriativa Luciana Damiano do 1001 Feltros. Não ficaram fofinhos?

Acesse o blog e conheça todas as suas criações. Um verdadeiro show de capricho, criatividade e amor ao que faz. Eu recomendo!

……………………………………………………………………………